http://fatemasters.gitlab.io/

Fate Masters Episódio 60 - Apresenta Leonardo Himura (IndieVisível - #iHunt no Brasil)

[Pronto para descer o braço em monstros e faturar um em cima?](/images/iHuntBRBanner.jpg)

E os Fate Masters estão de volta em um Apresenta especial demais! E um Apresenta que não é para FASCISTAS!!

[Nada de Fascistas](https://i1.wp.com/machineage.tokyo/wp-content/uploads/2020/03/Olivia-Hill-Rule.png?resize=400%2C768&ssl=1)

Fábio (o Mr. Mickey), Rafael (o Velho Lich), Maína (a Palomita) e Luíz Cavalheiro (o Cicerone) falam com o nosso Vilão Especialmente Convidado Leonardo Himura sobre o futuro financiamento coletivo de #iHunt pela IndieVisivel Press.

Falamos sobre quem é a IndieVisível, por que trazer o #iHunt, sobre a questão de localização versus tradução, sobre novos cenários brasileiros e sobre como #serumfodido no Brasil é diferente de ser um fodido nos EUA. E sobre como Olivia Hill está pirando nisso tudo!

E sobre taras…

… não o que você tá pensando, seu tarado, mas a forma de caçar monstros.

E aproveitamos para com esse podcast complementar o nosso podcast onde analisamos #iHunt

E… Para dar um gostinho… Um trecho de #iHunt

“Na verdade, a Tainara diz que lobisomens são seus alvos preferidos, porque ela não precisa pesquisar muito. Depois das 23h, depois de trabalhar a manhã inteira no Carver’s, e à tarde na loja de videogames, a última coisa que ela quer fazer é pesquisar.

Eu não a culpo. Ela diz que matar um lobisomem é excitante, e a ajuda a esquecer a dor por um tempinho. Afinal, é difícil focar na dor de uma inflamação no intestino quando você está sendo atacada por um lobisomem, ela conta em tom de piada. Humor mórbido, ela diz entre goles de café, é algo comum entre #iHunters. Todos fazem piada sobre como vão morrer um dia: sempre na caçada, nunca em casa, de doença ou pobreza.

Se eu a visse na rua, eu imaginaria que a Tainara era só mais uma pessoa tímida e sem graça. Mas vendo ela pessoalmente? Interagindo com ela? Ela tem uma confiança como eu nunca vi antes. Ela explica que é só parte do trabalho. Quando você enfrenta a morte todo dia, ser bela, recatada e do lar parece uma perda de tempo.”

#iHunt estará em financiamento coletivo no dia 25/10 no Catarse pela IndieVisivel Press. E temos mais IBAGENS!!!

[Capa dos Quadrinhos de #iHunt](/images/iHuntBRComic.png) [Capa do Livro do Jogador de #iHunt](/images/iHuntBRGuia.jpg)

Fate Masters Episódio 59 - Explicando Aspectos

E os Fate Masters estão de volta, e em algo muito importante!

E além disso, comentamos o email que recebemos do André Soares Nascimento, sobre o Episódio Anterior, mostrando que sim, temos gente que realmente se sentiu representada no Accessibility Toolkit. E aproveitamos para deixar o Twitch dele, onde ele vai narrar Fate no futuro!

Fábio (o Mr. Mickey), Rafael (o Velho Lich), Maína (a Palomita) e Luíz Cavalheiro (o Cicerone) levantam o capô e procuram explicar o que são (e o que não são) Aspectos, tanto em termos até filosóficos quanto nas regras mais duras.

Explicamos o que eles são, como eles ajudam a delimitar os parâmetros tanto do jogo quanto da narrativa, como eles fazem uma ponte entre narrativa, regras e cenário, e como no fim das contas eles, ao mesmo tempo que tornam as coisas potencialmente amplas, não permitem que o jogo vire Calvinball. Além disso, explicamos sobre como criar bons Aspectos, sobre seus usos e cuidados a serem tomados ao criar e nomear Aspectos.

E como tudo pode ser um Aspecto, embora nem tudo vai ser um Aspecto, já que Aspectos têm importância narrativa no momento, desde o muro que vira um Aspecto para os personagens se protegerem de um tiroteio ao fato de você pedir para sair no X1 com o Líder de um grupo de orcs guerreiros. E como até uma Sala típica da Baixada Fluminense ou mesmo um Desodorante Avanço, que espanta vampiros e mortais igualmente pode ser narrativamente importantes e portanto tornaram-se Aspectos em jogo.

Sempre lembrando

  1. Nem tudo é Aspecto, mas tudo pode ser (ou ter) Aspectos
  2. Pontos de Destino devem ser usados
  3. Aspectos são Verdadeiros
  4. Aspectos não são Vantagens ou Desvantagens, “apenas” SÃO
  5. A Narração dos Aspectos é Importante
  6. Fate é mais Gramático (ou melhor Sintático) que Matemático

Sobre o Calvinball:

[Quadrinho de Calvin & Haroldo sobre Calvinball](/images/calvinball20127.webp)

Sobre a Curiosa Menina Britânica:

Sobre Inigo Montoya:

["Olá... Meu nome é Inigo Montoya. Você matou meu pai. Prepare-se para morrer."](/images/InigoMontoya.jpg)

E deixando algumas imagens do Accessibility Toolkit para mostrar que ele realmente tá muito bom, agora que já não é mais um prototype, mas sim um produto Fate completo!

Mesa de Jogo Como deve ser um Evento Inclusivo Diversos dispositivos de Acessibilidade e suas versões em outros cenários Um exemplo em ASL de como se diz "Narrador"

E, para terminar com a mensagem que começamos no episódio anterior, deixamos uma mensagem da própria Evil Hat.

Devemos ajudar a igualar as coisas

The world won’t always be perfectly accessible. We may not always have strong lighting, we may not be able to eradicate crosstalk at our tables, or completely eradicate harmful tropes.

But we can try.

We can try to create better gaming spaces, create better characters, develop better systems.

We can make large print character sheets, and design mechanics that represent more people. We can stop using harmful tropes, and develop more content about disabled people.

The best tool I can leave you with is to ask questions of your disabled peers. Want to play a D/deaf character? Ask somebody. Want to have a visually impaired or blind player at your table? Ask them what will make the game more comfortable for them.

We didn’t cover a lot of disabilities in here, not because they aren’t important but because we only had so much space. Don’t assume that because we didn’t include them doesn’t mean they aren’t worthy of inclusion, representation, or support. Intellectually disabled gamers exist, gamers with MS, with muscular dystrophy, with ALS exist. They deserve representation and inclusion in our world.

We can always do better.

Mensagem: Nivelando o jogo para todos

O mundo nunca vai ser totalmente acessível. Nem sempre teremos luz o bastante, nem sempre conseguiremos acabar com o bate-papo em nossas mesas, ou destrutir completamente tropos horríveis.

Mas podemos tentar.

Podemos criar espaços de jogo melhores, personagens melhores, sistemas melhores.

Podemos criar fichas de personagem maiores, e desenvolver mecânicas que representem mais pessoas. Podemos parar de usar tropos horríveis, e desenvolver mais conteúdo sobre pessoas com deficiências.

A melhor ferramenta quie eu posso dar para vocês é que vocês questionem os seus parceiros com condições. Quer jogar com um personagem Surdo/surdo? Pergunte a um deles. Quer jogar com um jogador com deficiência visual? Pergunte o que vai tornar o jogo mais confortável para eles.

Não cobrimos muitas deficiências aqui, não porque elas não eram importantes, mas porque temos limitação de espaço. Não assuma que, porque não falamos sobre elas, isso significa que elas não mereçam inclusão, suporte ou representatividade. Jogadores com dificuldades intelectuais existem, personagems com esclerose múltipla, distrofia múscular ou ELA existem. Eles merecem representatividade e inclusão no nosso mundo.

Sempre podemos ser melhores.

E as redes sociais dos Fate Masters:

Willamina “Willa” Rabbitt, a coelha branca

A pequena Willamina Rabbit (cujo nome só soube devido aos bordados em suas roupas de bebê) cresceu sendo empurrada de orfanato em orfanato no norte da Bretanha, cruzando as fronteiras da Escócia, Gales e Inglaterra livremente. Sempre mau-tratada pelos mais velhos, devido à sua aparência estranha, ela viveu em orfanatos desde que se entende por gente. Uma investigação da Fundação rastreou informações sobre um Culto e sobre como experiências bizarras envolvendo uma modificação de crianças por meio de Occultech para criar fábulas e mitos modernos foi descoberto. O Culto foi capturado e todas as pesquisas enviadas para a Ilha Occultar, junto com um dos poucos resultados que descobriu-se legítimo: uma menina de Aberdeen foi misturada com o que se acredita serem pelos do Coelho Branco, Senescal da Rainha de Copas, uma aberração extraplanar segundo os resultados da Investigação. Ela teria desenvolvido poderes relacionados ao tempo e a sincronicidade. Essa garota foi obtida pelo grupo de maneiras ainda não determinadas e, após ter sido transformada, foi enviada a orfanatos por alguma razão desconhecida. O nome dela é Willamina Rabbit

Willamina deseja amizade acima de tudo, mas o estresse que sofreu quando criança a tornou extremamente tensa e tímida, sendo ocasionalmente difícil de lidar, em especial pelo fato de vestir-se de maneira altamente anacrônica, usando relógios e cartas de baralho como acessórios de maneira estranhas (há quem diga que algumas delas sejam Occultech). Além disso, barulhos altos e desordem a deixam realmente tensa. Além disso, ela ODEIA estar atrasada, a um ponto patológico.

Diferentemente da maioria dos Newtype que possuem aparência muito humana, seu rosto é quase lapino: lábios leporinos mostrando dentes incisivos um pouco avançados, pele alva, grandes olhos azuis com iris de tamanho enorme, cabelo branco e tão encaracolado que chega quase a ser felpudo e orelhas que são maiores que a própria cabeça (e isso é perceptível quando ela se chateia e as orelhas caem).

ID

  • Student ID # AXF06-2540
  • Nascida em Aberdeen, Escócia
  • Data de Nascimento: 4 de Julho
  • Altura 1,53m (1,83, contando orelhas)
  • Peso 55 kg
  • Olhos Azuis com grandes irises
  • Cabelos Brancos, meio felpudos
  • Características: Rosto lapino, lábios leporinos, grandes orelhas
  • Tipo Sanguineo: AB+
  • Gosta de: Momentos calmos, livros, relógios, chapéus, baralhos, roupas lolita e steampunk, a cor vermelha, chá
  • Não gosta de: Agitação, barulhos altos (em especial explosivos), desordem, café, atrasos

Aspectos

Tipo Aspecto
Conceito Uma elegante meio-coelha saída do País das Maravilhas (Literalmente?!)
Talento Sincronicidade sobrenatural (Newtype)
Estudante Todos os horários estão na minha agenda
Drive Quero ser amiga das pessoas, mas elas são… tão… estranhas!
  Baralhos e xícaras de chá… Relógios e Cartolas…

Abordagens

Abordagem Nível
Ágil A
Cuidadoso C
Esperto B
Estiloso B
Poderoso C
Sorrateiro D

Façanhas

  • Sem querer querendo: +2 ao Criar Vantagens sendo Esperta ao realizar algo que possa aparentemente ser não intencional.
  • È tarde, é tarde, é tarde!: +2 ao Superar obstáculos relacionados ao momentos certos (chegar na aula no momento certo)
  • “Que orelhas enormes você tem:” +2 ao Superar e Criar Vantagem para notar barulhos estranhos ou ouvir coisas que não deveria. Entretanto, qualquer falha é tratada automáticamente como sucesso a custo

Segredos

  • Willamina é na verdade uma criatura do País das Maravilhas (literalmente). Seus objetivos na Terra são obscuros, mas está do lado da humanidade (até onde se sabe)
  • Willamina é na verdade uma Phooka, uma fada nascida dos sonhos das pessoas
  • Willamina na verdade é uma extraterrestre, seus pais tendo morrido em um acidente ao cairem na Terra

O Clube dos Jogos Mentais Clássicos

  • Conceito: Clube dos Jogos Mentais Clássicos
  • Objetivos: Preservar a existência e materialidade dos Clássicos Jogos de Tabuleiro (de antes da segunda metade do Século XX)
  • Problema: Clássicos que não possuem apelos para pessoas comuns

Membros:

  • Willamina Rabbitt
    • Especialista em Jogos de Carta
  • Shindou Akira
    • Especialista em Go, 2º Ano
    • Diz ser possuído pelo fantasma de um jogador de Go do Passado Remoto
  • Yelena Griegskaya
    • Jogadora de Xadrez e Shougi, 1º Ano
    • Diz ser “abençoada por Baba Yaga”
  • Robert Willows
    • Jogador Inveterado de Damas e Gamão, 1º Ano
    • Aperentemente tem uma Serendipidade Sobrenatural

Fate Masters Episódio 58 - Analisa Fate Accessibilty Toolkit

E estamos de volta…

Para falar de um dos livros mais necessários já publicados para Fate, não apenas para o sistema Fate, mas para o RPG como um todo.

Vamos falar do Fate Accessibility Toolkit (FAcT), ou o Guia para Acessibilidade em Fate, focado em como tornar personagens com condições atípicas muito mais do que estereótipos e mostrar que condições atípicas podem ser muito mais que mecânicas de horror lovecraftiano ou pontos para aprimorar outras partes.

Falamos sobre o risco dos estereótipos, sobre como um personagem pode, ainda que contando com condições atípicas, ser tão competente, proativo e dramático quanto qualquer outro, sobre os problemas do “kit do psicopata feliz” e da narrativa de superação e sobre como é importante sempre fazer a lição de casa, tanto ao criar personagens com condições atípicas quanto ao aumentar o acesso de jogadores com tais condições ao RPG, que é um hobby que tem possibilidade de ser muito mais inclusivo do que atualmente fazemos.

Esse longo episódio também é regado com exemplos pessoais e informações nossas.

E deixamos o pedido: você que conheça jogadores ou seja jogador de RPG que tenha condições que demandem algum tipo de atenção especial, como baixa visão, surdez ou condições psicológicas e que deseje dividir suas experiências conosco, por favor entre em contato conosco no fatemasterspodcast@gmail.com e divida conosco sua história, já que esse debate que está sendo aberto nesse podcast não foi encerrado

E lembrando aquilo que não te contaram sobre a acessibilidade:

  • Nem toda pessoa com alguma deficiência deseja ser curada
  • Nem sempre dá para se curar uma deficiência
  • Binarismo em deficiências é uma ilusão: a maior parte das deficiências não são oito ou oitenta, vindo em escalas.
  • Dispositivos de Acessibilidade são ferramentas, não brinquedos
  • A deficiência não é toda a sua identidade, ainda que possa ser algo importante. Você pode ser um cego judeu, ou uma pessoa de cor cadeirante, ou uma mulher com bipolaridade, ou um homem trans autista… ou qualquer outra coisa. Pessoas com deficiência são pessoas complexas, como qualquer outra.
  • Dor é um conceito relativo: certas dores podem ser simplesmente ignoradas se você as sente o tempo todo
  • Deficiências não são caixinhas: elas variam de pessoa para pessoa. Mesmo pessoas que tenham o mesmo tipo de deficiência podem lidar com ela de formas diferentes.
  • Nem toda deficiência é visível: algumas podem não ser vistas, mas ainda poderem influenciar a vida da pessoa. Pense em pessoas diagnosticadas como autistas.

E as redes sociais dos Fate Masters:

Abaixo, a tabela dos materiais analisados até agora

Posição Cenário Mr. Mickey Velho Lich Cicerone Palomita Média
1 Uprising - The Dystopian Universe RPG 5 5 5   5
  #iHunt 5 5 5   5
3 Masters of Umdaar 5 4,5 5   4.83
  Chopstick 5 4,75 4,75   4.83
5 Wearing the Cape 4,8 4,75 4,38   4,78
6 Secrets of Cats 4,7 4,5 4,5   4,73
7 Templo Perdido de Thur-Amon 4,6 4,75 4,75   4,68
  Jadepunk 4,8 4,75 4,5   4,68
  Nest 4,8 4,5 4,75   4,68
10 Bukatsu 4,75 4,5 4,5   4,58
11 Boa Vizinhança/Good Neighbors 4,7 4,25 4,75   4,56
12 Daring Comics 4,25 4,5 4,75   4,5
13 Mecha vs Kaiju 4,25 4,75 4   4,33
14 Atomic Robo 4 4,5 —-   4,25
15 Super-Powered Fate 4,2 3,75 3,75 4 3,92
16 Destino em Quatro Cores 4 4 3,75   3,92
17 Atomic Robo: Majestic 12 3,5 3,5 —-   3,5
18 Projeto Memento 3,5 3,75 2,75   3,33
  Accessibility Toolkit 4,8 4 4 3,5 4,075
  Ferramentas de Sistema 4 —- —-   4
  Horror Toolkit 4,5 4,5 2   3,6
  Fate Condensado —- —- —-  

Fate Masters Episódio 57 - Estresse e Consequências

E estamos de volta a um podcast explicando as origens!

Para falarmos sobre um conceito importante e muito mal compreendido: Estresse e Consequências.

Falamos sobre:

  • por que na prática Estresse e Consequências não são barras de energia (até serem)
  • a importância das Consequências enquanto Aspectos aplicados no personagem
  • como o Estresse pode ser usado como um contador válido para formas de desgastes de poderes e consumíveis
  • como você pode usar isso como forma de “desabilitar” recursos consumíveis do personagem
  • como Condições podem ser uma alternativa interessante de trazer Consequências pré-criadas e que criem uma mecânica que reforce o impacto narrativo e vice-versa
  • como as Consequências serem apenas em um grupo tornar o impacto das mesmas poderosa como um todo
  • como as Consequências PODEM ocasionalmente ser usadas de maneira favoráveis aos jogadores
  • como usar um Fractal bem rápido para Contadores!

E as redes sociais dos Fate Masters:

Especial: Cicerone Adapta Secrets of the Cats para Chronicles of the Darkness - Episódio 03: andamento do processo

Caros espectadores, sejam bem-vindos ao segundo episódio do Especial Cicerone Adapta! Na esteira do episódio 56 do podcast, sobre adaptações, Lu Cicerone Cavalheiro decidiu mostrar o passo-a-passo de um processo de adaptação a fim de ilustrar não só o discutido no episódio em questão, como também mostrar como lidar com as dificuldades imprevisíveis que fatalmente serão encontradas.

Diferentemente do que seria esperado, entretanto, o Cicerone decidiu adaptar um dos Worlds of Adventure mais aclamado, The Secrets of the Cats, para Chronicles of the Darkness. Em seu entendimento, os gatos domésticos em The Secrets of the Cats possuem traços e características que os tornam personagens interessantes de se jogar no Mundo das Trevas.

Neste terceiro episódio, Cicerone exporá o andamento do processo de adaptação.

Se você quiser entrar em contato com o Cicerone, procure-o nos links abaixo:

Créditos

March of the Mind by Kevin MacLeod

Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4020-march-of-the-mind

License: https://filmmusic.io/standard-license

Especial: Cicerone Adapta Secrets of the Cats para Chronicles of the Darkness - Episódio 02: estrutura geral

Caros espectadores, sejam bem-vindos ao segundo episódio do Especial Cicerone Adapta! Na esteira do episódio 56 do podcast, sobre adaptações, Lu Cicerone Cavalheiro decidiu mostrar o passo-a-passo de um processo de adaptação a fim de ilustrar não só o discutido no episódio em questão, como também mostrar como lidar com as dificuldades imprevisíveis que fatalmente serão encontradas.

Diferentemente do que seria esperado, entretanto, o Cicerone decidiu adaptar um dos Worlds of Adventure mais aclamado, The Secrets of the Cats, para Chronicles of the Darkness. Em seu entendimento, os gatos domésticos em The Secrets of the Cats possuem traços e características que os tornam personagens interessantes de se jogar no Mundo das Trevas.

Neste segundo episódio, Cicerone narrará seus avanços no processo de adaptação, bem como as decisões de design tomadas a fim de saber como traduzir/transladar/adaptar The Secrets of the Cats para Chronicles of the Darkness.

Se você quiser entrar em contato com o Cicerone, procure-o nos links abaixo:

Créditos

March of the Mind by Kevin MacLeod

Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4020-march-of-the-mind

License: https://filmmusic.io/standard-license

Especial: Cicerone Adapta Secrets of the Cats para Chronicles of the Darkness - Episódio 01: considerações iniciais

Caros espectadores, sejam bem-vindos ao primeiro episódio do Especial Cicerone Adapta! Na esteira do episódio 56 do podcast, sobre adaptações, Lu Cicerone Cavalheiro decidiu mostrar o passo-a-passo de um processo de adaptação a fim de ilustrar não só o discutido no episódio em questão, como também mostrar como lidar com as dificuldades imprevisíveis que fatalmente serão encontradas.

Diferentemente do que seria esperado, entretanto, o Cicerone decidiu adaptar um dos Worlds of Adventure mais aclamado, The Secrets of the Cats, para Chronicles of the Darkness. Em seu entendimento, os gatos domésticos em The Secrets of the Cats possuem traços e características que os tornam personagens interessantes de se jogar no Mundo das Trevas.

Neste primeiro episódio, Cicerone discutirá suas primeiras impressões do processo de adaptação, bem como exporá quais são seus primeiros pensamentos sobre o processo de adaptação.

Se você quiser entrar em contato com o Cicerone, procure-o nos links abaixo:

Créditos

March of the Mind by Kevin MacLeod

Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4020-march-of-the-mind

License: https://filmmusic.io/standard-license

Fate Masters Episódio 56 - Adaptações

E os Fate Masters retornam para 2021!!! E a coisa vai ser ainda mais doida!

Pois os Fate Masters Rafael, Luiz, Fábio e Maína decidiram que é hora de falar sobre um tema normalmente quente e espinhoso!

ADAPTAÇÕES!

O que adaptar?

Como adaptar?

O que levar em conta?

Como decidir que regras usar?

E, acima de tudo:

O que fazer quando os seus jogadores matarem Hitler?

E fiquem atentos para os Fate Masters no Dia Nacional do RPG 2021. Vamos estar online com muitas atividades!

E as redes sociais dos Fate Masters:

Fate Masters Episódio 55 - Encerramento de 2020

Quase sem edição e TOTALMENTE SEM FREIO!

Os Fate Masters Rafael, Luiz, Fábio e Maína se encontram para gravar um podcast solto para reavaliar o que foi o ano de 2020, um dos anos mais duros não apenas para os Fate Masters, mas para o mundo como um todo. Comentamos tudo que foi cagado no ano, tudo que foi tenso, como foi lidar com jogos online, fazemos críticas à comunidade, desabafamos as agruras de narrar online e não ter jogadores, o que cada um de nós fez de bom…

…e nos perguntamos o que aconteceu: gato jogando SimCity no Nightmare, Jumanji, Cards against Humanity ou viramos simplesmente um Domínio de Raveloft?

E aproveitamos para fazer um convite a todos para uma call conjunta da comunidade: é um convite para vocês conhecerem os Fate Masters e trocar ideias e desabafar toda a merda que foi esse ano. Será dia 27 à noite: os horários serão definidos em breve e anunciados nas nossas redes sociais do Podcast no Facebook

E por fim… O Elf in the Shelf está observando os ouvintes do Fate Masters!

Elf in the shelf

O Filme de Elf in the shelf

E as redes sociais dos Fate Masters: